terça-feira, fevereiro 06, 2007

Debaixo de escombros

Tenho um Estado mesmo visionário. Tem uma enorme capacidade de compreender o futuro. Sabe todas as dificuldades financeiras que atravessa e reconhece-as perante a opinião pública. Partilha esses problemas para assim justificar as decisões a tomar e a revolta não ser tão grande.

Mas este Estado, que inclusive conhece o seu futuro demográfico ( que de Inverno mediterrânico passará a siberiano num curto espaço de tempo), prefere aplicar os seus escassos fundos em políticas "libertadoras" da mulher do que em políticas libertadoras de toda a sociedade. Apoio aos tratamentos de natalidade e fertilidade que visam trazer alguém ao mundo é mentira, mas para esbarrá-los, já pode ser.

E nessa lógica, perde-se a tal liberdade geral de que falava: menos um a nascer, menos um a trabalhar, menos um a contribuir, menos um a descontar, menos um a suportar esta lógica de Estado pesado que temos, mas que não defendo, e consequentemente, menos liberdade de todos e para todos! Quanto mais peso menos liberdade, não é assim? Se o peso aumenta, quem sou eu para fugir aos escombros?

João Maria Condeixa

6 Comments:

Blogger Links Uteis said...

Eu votarei Sim, SE E SÓ SE, me derem algum tipo de garantia que o aborto não vai aumentar.

Para mim chega a palavra do Sócrates, SE E SÓ SE for acompanhada de um aumento do dinheiro investido na educação sexual nas escolas*.

Nas escolas devia ser disciplina obrigatório no final do ensino básico (7,8,9º ano). E vou mais longe acho que devia contar para chumbo do ano juntamente com a matemática e o português.

O aborto não devia existir, pode-se legalizar o aborto, mas antes faça-se tudo para garantir que as pessoas não o fazem por ignorância e ou falta de responsabilidade.

* Atenção que não falei em esclarecer os adultos pois creio que estes vão abortar independentemente do resultado do referendo.

Nota:
Esta opinião foi formada em parte com base num estudo sobre as razões que levam as mulheres que abortam a engravidar.
Segundo esse estudo em 46% dos abortos, durante as relações não foi utilizado contraceptivo.

fevereiro 06, 2007 8:54 da manhã  
Blogger Diogo said...

Responda ao Quebra-cabeças Matinal em http://anti-aborto.blogspot.com/

Cumprimentos

fevereiro 07, 2007 10:51 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Vejam...

http://www.azores.gov.pt/GaCS/Noticias/2007/Fevereiro/Presidente+do+Governo+vota+SIM+e+apela+=E0+participa=E7=E3o+no+referendo+de+domingo.htm

Isto não é crime?

fevereiro 07, 2007 3:47 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Durante algum tempo pensei que a melhor atitude, perante o referendo que se aproxima, sería a abstenção. Não porque o assunto me seja indiferente mas sim porque o que me pareceu que o que estaría verdadeiramente em causa sería mais uma contagem de espingardas à direita (NÃO?) e à esquerda (SIM?), para daí tirar consequências políticas que ultrapassam o problema em discussão. Graças a Deus não existe o NIM, para não termos ainda que contar as do centro.
Com a aproximação do acto e com o ruído gerado em torno do mesmo entendí que não podería continuar na posição cómoda de não querer pensar nem intervir.
Foi assim que me fui apercebendo de que há muitos argumentos válidos, tanto de um lado como do outro e que há muita gente séria que os defende.
Mas também me fui apercebendo de que há posições incongruentes, motivações pouco claras e muita areia para atirar aos olhos do eleitor indefeso.
Não tenho a veleidade de vir acrescentar mais algum contributo para o esclarecimento de um problema tão complexo mas parece-me que, numa sociedade evoluída, o problema não se coloca porque a prevenção funciona.!!!
Mas sejam quais forem as razões doSIM, a lógica inerente ao enquadramento moral e legal do aborto (às 10, 9, 11, 7 ou 20 semanas ou quantas quizerem) não difere na sua essencia da lógica inerente à eutanásia ou à pena de morte.
É preocupante observar que as sondagens dão vantagem ao SIM pois que não é este, seguramente, o caminho para a civilização.
Mas, felizmente, ainda temos um dia para reflectir, sem que ninguém nos martirize os ouvidos.

fevereiro 07, 2007 10:56 da tarde  
Blogger Diogo Alvim said...

Ontem, no jantar dos Independentes pelo Não, falaram-me de um encerramento da campanha em Évora numa caminhada entre a sede e o templo de Diana, mas aqui não há mais informações...
Será que mas podiam mandar, sff? Obrigado! diogoalvim@gmail.com

fevereiro 08, 2007 10:25 da manhã  
Anonymous "Sim, pela obrigação de imitar Jesus" said...

Quantos vendilhões da moral não teria o Cristo de desancar se descesse hoje à terra?

fevereiro 08, 2007 12:07 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Como vai Votar no referendo dia 11 de Fevereiro?
NÃO
SIM
Não sei
Abstenção